Caio Nunes Cia de Dança

Usando músicas de todas as culturas e ritmos, expressam, em forma de renúncia, seu sentimento a respeito do homem, sua vida, emoções e atos. Com esse objetivo, a CIA se reúne em uma oficina de trabalho; onde praticam e montam um espetáculo com coreografias e ou textos.

 

Vivemos numa sociedade poderosamente influenciada pelos meios de comunicação de massa. Somos diariamente atingidos por milhões de apelos que visam nos dirigir para determinados gostos, hábitos e torres de retransmissão dessa poderosa vontade social, que influi tão fortemente sobre a nossa vontade pessoal. São poucos, muito poucos mesmo, os que não se dobram a essa vontade social. E isto também se reflete principalmente nas artes, em geral, na pintura, escultura, na dança contemporânea e no ballet.
A linguagem utilizada é antiga, já conhecida, repetitiva e sem muita criatividade. A linguagem da maioria das companhias de dança está prisioneira desta vontade social. E isto é fonte de inúmeras frustrações. Mas, eu não quero falar do antigo, quero falar do “novo”. 

 

A CAIO NUNES CIA. DE DANCA  veio para entender e agir sobre os exteriores, o mundo cá fora, mas veio também para entender agir, sobretudo sobre os “interiores”, o mundo de dentro, das emoções, dos mistérios.
O que acontece quando se assiste a CIA? Sentimos na mesma faixa de onda que nós, público e platéia, captando, cristalinamente, nossa energia. E isso é difícil. O que “CAIO NUNES CIA. DE DANCA  ” quer é sensibilidade, sintonia fina, é fina recepção para aquilo que o público irradia. “CAIO NUNES CIA. DE DANCA  ” quer o entendimento emocionado. Isto é magia. Mas paralelamente a este trabalho emocionado, forte, energético, plástico. Correm emoções pra todo o lado, inclusive pelos nossos corpos, quando dancamos...